Alimentação das crianças: alerta! 8 cuidados que você tem que ter.

Alimentação das crianças: alerta! 8 cuidados que você tem que ter.

alimentacao-das-criancas-alerta-8-cuidados-que-você-tem-que-ter

Durante os primeiros anos de vida, o organismo está em desenvolvimento. É nessa etapa que o ser humano adquire hábitos que levará por toda a vida. Por esse motivo, é de extrema importância cuidar da alimentação das crianças, estimulando para que ela seja saudável e diversificada em nutrientes.

Apesar de os responsáveis saberem o quanto comer bem na infância pode refletir em vantagens futuras, muitos têm dificuldade em adicionar esse costume à rotina dos filhos.

Para ajudar na missão, separamos 8 dicas de cuidados que você deve ter com a alimentação das crianças para que elas cresçam com saúde. Confira!

1. Evite alimentos que não sejam saudáveis

O organismo não sente falta de sabores que nunca provou, por isso, não adicione, à dieta do seu filho, alimentos gordurosos e pobres em nutrientes, como lanches rápidos, comidas congeladas, frituras, doces e refrigerantes. Quanto mais tarde esse tipo de comida entrar na rotina alimentar da criança, mais vantagens em relação à saúde ela terá.

2. Mantenha o cardápio variado

Servir sempre a mesma comida, além de aumentar os riscos de a criança enjoar daqueles alimentos, eleva também as chances de faltarem nutrientes. Por isso, procure sempre diversificar: alterne carboidratos, tipos de carnes, legumes, verduras e frutas. Ah, uma boa dica é servir alimentos que não agradem muito aos pequenos juntamente com os favoritos deles!

3. Cuide com os carboidratos

Não ofereça porções excessivas de alimentos ricos em carboidratos. Eles estão presentes em alguns dos alimentos de que as crianças costumam gostar bastante, como o arroz e a batata.

O problema é que, quando o carboidrato cai na corrente sanguínea, é transformado em glicose para que o corpo possa utilizá-lo como energia. Então, se você oferecê-lo em uma alta quantidade, mas a criança não gastar toda a energia acumulada, o nutriente será armazenado em forma de gordura, podendo levar à obesidade.

4. Apresente a comida em formas lúdicas

Essa é uma boa estratégia para fazer os pequenos se interessarem por alimentos saudáveis. No prato, o brócolis viram árvores, os ovos se tornam olhos, o tomate ganha o lugar de uma boquinha e assim por diante. Deixe a imaginação tomar conta! Dependendo da idade da criança, você pode chamá-la para participar da montagem: com certeza, ela vai adorar!

5. Escolha o “dia da novidade”

No dia “dia da novidade”, não dá para dizer “não gosto” sem provar! E isso vale tanto para as crianças quanto para os adultos. Escolha, então, um dia da semana para que todos na casa provem algum alimento que nunca experimentaram. Lembre-se de optar por comidas saudáveis e nutritivas, hein?

6. Deixe os líquidos para depois

Ingerir líquidos durante as refeições pode dilatar o estômago e fazer com que a criança ou se sacie mais rapidamente, ou consiga “empurrar” a comida com a bebida. Esse é mais um costume que, se introduzido desde cedo, não será um problema futuro. Normalmente, as pessoas que estão acostumadas a não ingerirem líquidos na hora da comida não sentem a falta deles.

7. Permita que a criança participe

Leve os pequenos ao mercado e deixe que façam a escolha dos alimentos junto com você, da compra ao armazenamento. Na hora de cozinhar, estimule a participação também! Neste caso, é preciso designar tarefas adequadas à idade dos pequenos. Por exemplo, adicionar ingredientes na panela ou mesmo alcançá-los para os pais são detalhes que podem estimular a criança a comer aquele alimento que está sendo preparado.

8. Reveja a sua rotina alimentar

A última dica é refletir sobre os seus próprios hábitos alimentares. O exemplo é o principal estímulo da criança, por isso, de nada adianta querer que seu filho coma salada enquanto você opta por batata frita. O legal é todos comerem juntos para que a alimentação saudável torne-se um hábito da família.

Quando você cuida da alimentação de uma criança, está investindo no futuro dela. Os hábitos infantis, bons e ruins, perduram e influenciam em muitos aspectos da vida adulta.

Para complementar a dieta, procure um nutricionista: assim, você conseguirá manter um cardápio completo e funcional para toda a família!

E aí, gostou deste conteúdo? Se você tem mais dicas para compartilhar sobre a alimentação das crianças, deixe um comentário no post e participe!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *